Festas infantis: luxuosas ou intimistas?

Antigamente as festas infantis eram bastante peculiares. O bolo era preparado pela madrinha, enquanto a avó fazia os docinhos e a vizinha ajudava na decoração. Quase tudo era feito em casa… e a bala de coco enrolada no papel picado, era um item essencial na mesa. A turma de amigos se reunia para estourar um balão gigante e, na hora do parabéns, todos ficavam ao redor do aniversariante, sendo difícil, muitas vezes, de achar o dono da festa na fotografia.

Foto: reprodução Internet

Conforme o tempo foi passando, as festinhas começaram a se tornar mais glamourosas. Viraram festão, um evento realmente grande. E, com o dia a dia cada vez mais corrido, as casas de festas entraram em ascensão.

Festa da filha de Wesley Safadão – Foto: reprodução instagram

Em meados de 2011, as festas sobre rodas ganharam bastante força. Limousines cor de rosa roubavam o cenário nas ruas e, dentro delas, as meninas comemoravam seus aniversários. Mas será que a melhor opção, principalmente para as crianças, é comemorar mais um ano de vida em um local totalmente limitado? Afinal, dentro de um carro, por maior que ele seja, elas ficam geralmente sentadas, em um curto período de tempo e com pouquíssimas amigas, sem espaço para uma troca, uma brincadeira mais ativa, um movimento.

Foto: Daniel Carvalho (arquivo pessoal)

Foi, então, que logo depois essa moda se “reinventou” e surgiram os famosos “festbus”, uma festa dentro do ônibus, cujo o veículo é transformado em um grande salão de festas, com uma pista de dança “viajante”. Porém, o alto custo dessa prática, não é acessível à todos.

Foto: reprodução Night Bus

 Em 2016 e 2017, as festas do pijama e as festas realizadas dentro de um spa (ou salão de cabeleireiro) tomaram conta do mercado infantil. No dia de beleza, as aniversariantes levam poucas amigas ao salão (ou spa) para fazerem penteados, pintar as unhas, se maquiar e cuidar da pele. Já nas festas do pijama, os anfitriões chamam um grupo também seleto de amigos para passar a noite em sua casa, com decoração personalizada e, frequentemente, com tendas e sacos de dormir para cada criança, se houver espaço suficiente.

Foto: reprodução Inova Eventos

Uma tendência totalmente contrária às festas limitadas de convidados e espaço físico, são as comemorações em parques, com a criançada correndo solta atrás da bola, entre as árvores e com diversas brincadeiras do “tempo da vovó”. E em meados de 2017, essas festas em locais grandes e abertos, ao ar livre, começaram a ganhar mais forças.

E, para este ano, vivendo em uma era mais sustentável, essas festas em clubes e parques voltaram a ser tendência. Do mesmo modo que o DIY (faça você mesmo) está também voltando com tudo. No entanto, o ideal é achar um equilíbrio entre a simplicidade do “faça você mesmo”, como eram as festas dos anos 80 e 90, com os inúmeros recursos legais que temos hoje em dia (animadores, pinturas faciais, brinquedos, bola mania, camarim maluco e vários outros). A decoração personalizada está super em alta também. Use e abuse delas!

Foto: reprodução Inova Eventos

Mas vale uma dica: preserve a faixa etária e o os gostos pessoais da criança. Se atente ao melhor horário (festas muito tardes não são legais para a maioria dos pequenos, pois costumam dormir mais cedo) e ao tipo de música também. Devemos respeitar o espaço da criançada e saber que tudo tem o seu tempo. A festa é para ser delas e não dos adultos.

E, seja qual for o seu estilo e a sua preferência, totalmente caseira ou super glamourosa e luxuosa, o mais importante é fazê-los felizes. Lembrem-se de que a festa é para comemorar mais um ano da vida dos pimpolhos. São as crianças as donas das festas, os personagens principais desse dia!

Foto: reprodução Fazendo a Festa (GNT)

Vocês já têm uma preferência?